Início

porEvandro Legramonte

Tabela Simplificada das Runas Nórdicas.

1. Fehu (F) – ᚠ – Gado, Riqueza
2. Uruz (U) – ᚢ – Força, Saúde
3. Thurisaz (Th) – ᚦ – Desafio, Força Bruta
4. Ansuz (A) – ᚨ – Deus, Comunicação
5. Raido (R) – ᚱ – Viagem, Jornada
6. Kenaz (K) – ᚲ – Tocha, Iluminação
7. Gebo (G) – ᚷ – Presente, Troca
8. Wunjo (W) – ᚹ – Alegria, Felicidade
9. Hagalaz (H) – ᚺ – Hail, Transformação
10. Nauthiz (N) – ᚾ – Necessidade, Restrição
11. Isa (I) – ᛁ – Gelo, Estagnação
12. Jera (J) – ᛃ – Colheita, Recompensa
13. Eihwaz (EI) – ᛇ – Teixo, Mudança
14. Perthro (P) – ᛈ – Sorte, Destino
15. Algiz (Z) – ᛉ – Proteção, Escudo
16. Sowilo (S) – ᛊ – Sol, Sucesso
17. Tiwaz (T) – ᛏ – Tyr, Justiça, Guerra
18. Berkano (B) – ᛒ – Bétula, Renovação
19. Ehwaz (E) – ᛖ – Cavalo, Parceria
20. Mannaz (M) – ᛗ – Humano, Comunidade
21. Laguz (L) – ᛚ – Água, Intuição
22. Ingwaz (NG) – ᛜ – Fertilidade, Amor
23. Dagaz (D) – ᛞ – Dia, Transformação
24. Othala (O) – ᛟ – Propriedade, Herança

porEvandro Legramonte

Como para equilibrar a mediunidade (as próprias energias)?

Equilibrar a mediunidade e as próprias energias é fundamental para manter o bem-estar físico, emocional e espiritual. Aqui estão algumas sugestões para ajudar nesse equilíbrio:

1. Autoconhecimento: Entender sua sensibilidade mediúnica e como ela afeta você é o primeiro passo. Conheça seus pontos fortes e desafios.

2. Proteção Energética: Pratique técnicas de proteção energética, como visualizações de escudos de luz, uso de cristais protetores e afirmações positivas.

3. Limpeza Energética: Regularmente limpe sua energia utilizando métodos como banhos de sal grosso, defumações com ervas purificadoras e meditações de limpeza.

4. Centramento e Aterramento: Mantenha-se centrado e conectado à terra através de práticas como meditação, caminhadas na natureza e visualizações de enraizamento.

5. Auto Cuidado: Cuide bem de si mesmo, tanto física quanto emocionalmente. Pratique atividades que o ajudem a relaxar e recarregar suas energias, como exercícios físicos, hobbies criativos e momentos de tranquilidade.

6. Estabeleça Limites: Aprenda a dizer não quando necessário e estabeleça limites saudáveis com relação às energias e demandas externas.

7. Desenvolvimento Espiritual: Busque o desenvolvimento espiritual através de práticas que ressoem com você, como estudo espiritual, meditação, orações e participação em grupos de desenvolvimento mediúnico.

8. Busque Apoio: Procure o apoio de mentores espirituais, grupos de estudo, terapeutas holísticos ou profissionais capacitados em lidar com questões mediúnicas.

Lembre-se de que o equilíbrio é um processo contínuo e único para cada indivíduo. Experimente diferentes técnicas e descubra o que funciona melhor para você.

Luz e Paz!

porEvandro Legramonte

SOMOS AQUILO QUE PENSAMOS

As palavras têm um poder enorme em nossas vidas.
Está mais do que provado que SOMOS AQUILO QUE PENSAMOS; por isso, ao pensar, falar e escrever devemos tomar um cuidado enorme para não sermos traídos por nós mesmos.
Uma expressão que devemos evitar ao máximo é a palavra DIFÍCIL.
Quando pensamos ou pronunciamos essa palavra proibida estamos encerrando a questão e impedindo que o nosso cérebro busque uma saída.
Perceba como isso é altamente prejudicial à nossa vida.
Em contrapartida, sugiro usar uma expressão mais adequada, que sem dúvida, favorecerá todo o processo.
Quando você se deparar com algum problema e não conhecer a solução, pense: ESTE PROBLEMA É DESCONHECIDO PARA MIM.
Agindo desta forma, você estará dando chance ao seu cérebro para que ele encontre soluções. Você estará facilitando todo o processo.
O cérebro funciona assim mesmo: para que ele trabalhe melhor, devemos usá-lo de forma mais inteligente.
Se atentarmos bem, veremos que não existe nada DIFÍCIL. O que realmente existe são situações e problemas DESCONHECIDOS.
Atente para o seguinte: muitas vezes, dizemos DIFÍCIL, para determinada situação. No entanto, ao encontrarmos a solução, aquele problema deixou de ser DIFÍCIL para se tornar FÁCIL.
Portanto, não há algo FÁCIL ou DIFÍCIL. O que existe são situações CONHECIDAS ou DESCONHECIDAS.
Ao se referir a uma situação como sendo DESCONHECIDA, você estará induzindo seu cérebro a buscar o conhecimento e pode ter certeza que ele procurará a solução com a máxima eficiência, simplesmente porque essa é a Lei da Natureza.
Assim, diante de alguma situação, aparentemente sem solução, pense, diga ou escreva: O QUE DEVO FAZER PARA ENCONTRAR A SOLUÇÃO? e seu cérebro, certamente, vai ajudá-lo.
Seja Feliz
DJALMA DE OLIVEIRA JUNIOR
2003

porEvandro Legramonte

Estou Muito Ocupada para Morrer!

Uma psicoterapeuta que “vendeu” a velhice, Hedda Bolgar viveu até os 103 anos e atendeu pacientes quase até seu último dia como o membro mais velho da Associação Americana de Psicologia.

Ela tinha um fluxo constante de pacientes. E não só porque a sua clínica acolheu aqueles que não podiam ser ajudados noutro lugar porque era muito caro. E não só porque Hedda foi a última psicoterapeuta viva na Terra a assistir às aulas de Sigmund Freud, o fundador da disciplina. Hedda, segundo as lembranças de quem a conheceu, era “imbuída de otimismo, exalava literalmente alegria de viver – e a transmitia a outras pessoas”.

Ela sabia como aliviar as pessoas do medo da morte, da solidão e do sofrimento.

“Não sei por que as pessoas têm tanto medo de envelhecer.” Parece-me que eles só veem a idade como uma perda, uma doença ou algum outro tipo de desvantagem. Mas não percebem que a velhice oferece muitas vantagens. A velhice é liberdade, experiência e uma profunda confiança de que você pode enfrentar qualquer coisa.”

Os clientes da Drª Bolgar eram predominantemente idosos, solitários e com medo da morte. Muitos não conseguiam encontrar um psicoterapeuta mais velho que eles e não ousavam confiar os seus problemas aos jovens, que não os compreenderiam. Além disso, a Drª Hedda descreveu tanto as vantagens da idade “madura” que homens e mulheres mais velhos começaram a invejar uns aos outros, tanto que uma jornalista intitulou sua entrevista com a psicoterapeuta assim: “Quando eu crescer quero ser Hedda Bolgar.”

Bolgar riu e se comparou a um vendedor ambulante que sabe apresentar lindamente um produto que não é dos mais populares. Ela “vendeu” a velhice.

No limiar do seu centenário, Hedda Bolgar disse: “Tive uma vida feliz. E os mais felizes foram os últimos 10 anos.” É uma pena que a maioria de nós não seja capaz de verificar isso em nossa própria experiência….

Outra citação dela: “Descobri muitas coisas depois dos 65”. Esta receita pode ser útil para quase todas as pessoas, porque muitas vezes desanimamos e pensamos que a vida acabou, que está paralisada, que é inútil esperar pelas mudanças. Alguns de nós pensam isso depois da quinta década, outros já estão na quarta.

Um dos segredos da vida longa e feliz de Hedda Bolgar é a ação e a atividade constantes. Quase até o último dia de vida ele recebeu pacientes. Seus amigos tentaram acalmá-la, fazê-la se adaptar à idade, descansar mais, mas ela simplesmente os afastou. Sua mente permaneceu afiada, sua sede de trabalho insaciável.

Ela se perguntou por que as pessoas se aposentavam. De manhã Hedda acordou feliz: havia tantas coisas úteis e agradáveis para fazer! O importante é escolher um trabalho que você goste.

Hedda Bolgar sempre procurou estar bonita: penteada, maquiagem leve, brincos e colar da cor do vestido. Existem outros segredos puramente femininos para preservar a juventude? Duvido que ela tivesse algum. “Nos últimos 80 anos pratiquei pouco esporte”, brincou. É verdade que aos 60 anos ele começou a fazer exercícios de alongamento semelhantes aos da ioga. E ela também gostava de dormir.

Um dos principais medos associados à velhice – o medo da solidão – claramente não preocupava esta mulher extraordinária. Dezenas de pessoas compareceram às suas festas de aniversário. Ela não tinha filhos, mas parecia cercada por uma família amorosa. Na verdade, muitos daqueles convidados olhavam para Hedda como uma mãe, porque ela os ajudou a renascer, a emergir do abismo do desespero, da desesperança e do medo.

O único arrependimento de Hedda relacionado à idade era não poder mais contatar novos clientes, exceto para terapias de curto prazo.

Sentindo que o fim da sua vida terrena estava próximo, Hedda Bolgar pediu à sua amiga que telefonasse aos pacientes para marcar mais sessões de aconselhamento com outra pessoa. A última sessão foi marcada para o dia de sua morte, 14 de maio de 2013. Hedda não via a transição para o outro mundo como uma tragédia, mas como uma viagem ao desconhecido. Ele acreditava que algo muito bonito o esperava ali.

“Eu vivi uma vida feliz porque as pessoas sempre precisaram de mim”, disse ele.

Hedda Bolgar sempre tentou ajudar seus pacientes não apenas a aceitar a idade, mas a amá-la. Aqui estão algumas dicas que ele deu aos seus clientes em vários momentos:

  • Trabalhe enquanto sua saúde permitir. Não tenha pressa em se aposentar.
  • Não fique remoendo o passado, o que te impede de viver o presente.
  • Não se preocupe com o futuro: ele pode lhe reservar surpresas agradáveis.
  • Não se mantenha afastado.
  • Nem sempre fale sobre doenças e medicamentos.
  • Faça caminhadas, vá a shows, parques, encontre amigos.
  • Não exija atenção e ajuda de outras pessoas.
  • Mostre interesse e solidariedade com os outros.
  • Não resmungue dos jovens, mas tente fazer amizade com eles!
  • Pratique tanto esporte quanto possível.
  • Não coma muito, durma o suficiente.
  • Tente encontrar alegria nas coisas mais simples do dia a dia.
  • Agradeça por dia que você vive.

Hedda Bolgar